Portal do Governo Brasileiro

Implementado na UFSM em 2015, o curso de Engenharia Aeroespacial busca formar profissionais capacitados na área de tecnologia aeronáutica e espacial, com conhecimentos interdisciplinares aprofundados.

O curso passa por sua primeira reforma curricular desde a implementação. Metade dele foi reformulado, mas se destacam quatro novas disciplinas obrigatórias que foram adicionadas, do primeiro ao quarto ano do curso. Nelas, os alunos deverão desenvolver trabalhos extraclasse de complexidade crescente, onde precisam buscar um problema na realidade, conceber uma solução, projetar e testar um protótipo e encontrar formas de colocá-lo em prática.

A reforma curricular deve entrar em vigor a partir do próximo ano. O coordenador do curso de Engenharia Aeroespacial, André Luís da Silva, explicou os objetivos das mudanças: “Queremos chegar a um graduado que seja capaz de dominar todas as etapas da engenharia, desde conceber algo que não existe até o ponto de inserir aquele produto na realidade.” E contextualiza:

"Este método* surgiu na Engenharia Aeroespacial do MIT (Massachusetts Institute of Technology) dos EUA, uma das melhores do mundo. Se difundiu pelo instituto, para outras escolas nos EUA e pelo resto do mundo. Hoje, diversas universidades conceituadas o seguem. Possui uma proposta inovadora de ensino-aprendizagem centrada em projetos, com responsabilidade dividida entre aluno e professor." 

Por ser uma profissão que necessita de estudos aprofundados em diversas áreas, a Engenharia Aeroespacial é recomendada para aqueles que tem paixão pelos estudos do ramo. “Para quem gosta de ser desafiado, tem um espírito multidisciplinar e é apaixonado por aeronáutica e espaço ou engenharia em geral, o curso é um prato cheio.”, relatou o professor André.

Para ele, o ramo de Engenharia Aeroespacial tem um futuro promissor pela frente e ressalta que as explorações de Marte não estão distantes: “No momento em que tantos bilionários estão investindo dinheiro nisso, é porque tem relevância. A Nasa e a SpaceX já tem missões em desenvolvimento com o objetivo de chegar a Marte, já não é mais especulação.”

Para mais informações sobre a reforma curricular, acesse o site da Engenharia Aeroespacial. E para quem busca aprovação na UFSM, o ingresso no curso acontece todo ano, pelo programa SISU, mediante realização do Enem.

 

Saiba mais sobre o CDIO.
Texto por Lucas Gutierres, acadêmico de Jornalismo. - Núcleo de Divulgação Institucional do CT/UFSM.