Centro de Tecnologia acolhe demanda por inovação na iluminação pública da Prefeitura de Restinga Seca - CT - UFSM
Portal do Governo Brasileiro

Centro de Tecnologia acolhe demanda por inovação na iluminação pública da Prefeitura de Restinga Seca

Na última segunda-feira (15), o diretor do Centro de Tecnologia, Tiago Marchezan, recebeu em sua sala uma comitiva formada pelo prefeito Paulo Ricardo Salerno, membros da Secretaria de Obras e vereadores do município de Restinga Seca para conversar sobre eficiência energética voltada à iluminação pública. Participaram do encontro também membros da Agência de Inovação e Transferência de Tecnologia da UFSM (Agittec) e do Grupo de Estudo e Desenvolvimento de Reatores Eletrônicos (GEDRE - Inteligência em Iluminação).

O Prefeito conta que foi motivado pelo conhecimento acerca da atuação da Agittec na aproximação da Universidade da sociedade: “Viemos em busca de parceria com a Universidade para aplicar soluções no município de Restinga Seca, mas a iluminação pública também é um problema de municípios no Brasil inteiro”. Segundo Paulo Ricardo, o assunto é discutido em várias reuniões de prefeitos e prevê que em fevereiro possa ser feita uma agenda maior para agregar outros prefeitos de municípios na mesma área de abrangência da concessionária de energia da região central.

Os problemas levantados são a baixa qualidade dos materiais que às vezes é comprado em licitações, baixa durabilidade e a questão da eficiência energética. “Queremos reduzir o que se gasta hoje com o pagamento de energia elétrica”, demanda o Prefeito. Para isso, via Agittec, vai-se agilizar os termos para que o Gedre realize estudos das lâmpadas que a Prefeitura de Restinga Seca venha adquirir e das características que melhor se enquadram nas necessidades deles (potências, ângulos de abertura, etc).

Os próximos passos serão realizar uma pesquisa de mercado (concorrentes, preços, modelos de negócio, tecnologias e cases em outras cidades) e depois estudar a solução que o grupo de pesquisadores do CT pode entregar (custo do produto, serviços que podem ser ofertados, modelo de negócio sustentável). Assim o contato com a Prefeitura terá seguimento já com estimativas de custo, discussão do projeto piloto, quantidade de pontos, etc.

Para o diretor do Centro de Tecnologia, essa integração com a comunidade é, não só básica, como uma meta da atual gestão. E declara: “Todas as tecnologias desenvolvidas pelo CT tem que vir em benefício da sociedade”.

 

IMG_5276-editada.jpg