Portal do Governo Brasileiro

Conheça Tiago Marchezan, o novo diretor do Centro de Tecnologia

Na última terça-feira (19), foi realizada a cerimônia de posse da nova Direção do Centro de Tecnologia, composta pelo professor Tiago Marchezan (Diretor) e pela professora Tatiana Cervo (Vice-diretora). O evento teve início às 15h, no auditório Wilson Aita, com uma prestação de contas por parte da gestão passada, feita pelos professores Luciano Schuch e Deividi da Silva Pereira. Depois disso, os presentes acompanharam um vídeo de homenagem e a entrega de um certificado de agradecimento aos professores Luciano e Deividi. Como fechamento da primeira etapa da solenidade, os professores Lucius Mota e Glaubert Nuske apresentaram o Duo de Oboé e Fagote.

O ato também contou com a presença do professor Paulo Afonso Burmann, Reitor da UFSM, da administradora Neiva Cantarelli, Pró-Reitora de Gestão de Pessoas e, na plateia, autoridades civis municipais, diretores e vice-diretores de centro, ex-diretores do CT, pró-reitores, chefes de departamento, coordenadores de curso, docentes, técnicos-administrativos e acadêmicos.

 

Conversamos com o novo diretor do CT sobre suas expectativas e as propostas para esse novo período. Confira:

NDI: Quais são as suas expectativas para esse novo período de gestão?

A responsabilidade é imensa. O CT, nos últimos anos, tem se firmado como uma das unidades de ensino mais importantes da UFSM e o desafio é seguir este crescimento contínuo, alicerceado sempre nas pessoas que compõe o centro. Por outro lado, me sinto muito tranquilo por saber que temos colegas altamente capazes que vão nos permitir, durante a nossa gestão, tornar o centro ainda mais forte no âmbito da pesquisa, da graduação, do ensino diferenciado e na extensão, levando ainda mais contribuições à sociedade.

NDI: O Sr. tem experiências anteriores como gestor?

Tenho experiência como gestor, tanto na gestão privada como na pública. Fui coordenador da Agitec por três anos, aqui no Centro de Tecnologia. Estudei muito e me preparei para isso. Não dá para ser aventureiro. Além disso, não é possível ser gestor se não houver apoio da comunidade. Então, me sinto preparado e muito motivado. Se não me sentisse, não concorreria ao cargo.

NDI: Quais as propostas práticas da gestão para o futuro próximo?

Nós vamos trabalhar com metas claras. A primeira delas é trabalhar e melhorar o fluxo de processos dentro do CT e buscar uniformizá-los dentro das coordenações e departamentos. Também pretendemos investir bastante nas empresas juniores e ligas de empreendedorismo, trabalhando junto com os diretórios acadêmicos. Já estamos desenvolvendo programas nesse sentido. Além disso, queremos integrar ainda mais a pós-graduação com a sociedade. Vamos nos reunir com os coordenadores de cursos para criarmos ferramentas que nos permitam fazer isso. São várias propostas, mas, em geral, vamos priorizar a inovação, o empreendedorismo e a integração do CT com a sociedade.

NDI: O que a gestão pretende fazer em relação às reformas estruturais?

Nós estamos trabalhando no sentido de melhorar nosso setor de infraestrutura, em especial no atendimento às pequenas demandas. Quanto a reformas, o CT está com previsão de construção de novas salas de aula, bem como uma mudança no estacionamento do prédio. Além disso, estamos pensando em alguns artifícios para liberar mais espaço físico interno, como a criação de uma estrutura de contêineres para as empresas juniores. Mas tudo isso, é claro, vai depender dos recursos federais liberados para essas obras.

NDI: Como será o relacionamento da gestão com o movimento estudantil?

Os estudantes fazem a universidade. Nossa ideia é trabalhar muito conectados com eles. Nós temos representações do movimento estudantil dentro dos diretórios acadêmicos do CT e pretendemos trabalhar muito próximos a eles. Em breve realizaremos uma reunião com todos os DA's, justamente buscando saber quais as demandas dos diretórios e como eles enxergam o centro contribuindo com a sociedade, o que é uma grande preocupação deles e um objetivo da nossa gestão.